Jornal março de 2022

Tríade do Ser

Da última vez falámos-vos da Tríade do Ser, concebida e oferecida ao Asharum por Yoginâm, por ocasião do seu 75º aniversário, como símbolo de Nâm. A Tríade do Ser tem um lugar e uma importância especial no jardim, tanto para nós como para os visitantes do Asharum, pois é um ponto focal no passeio de meditação. Para além disso, ter a Tríade do Ser como orientação contínua enquanto fazemos as tarefas diárias no jardim serve como um lembrete constante da verdadeira razão pela qual vivemos aqui.

A Tríade do Ser simboliza a natureza humana, representando uma realização profunda na mais simples das formas. Por isso, a experiência de subir e descer a Tríade do Ser gera um impulso muito particular, difícil de explicar.

Yoginâm escreveu um texto, especialmente dedicado à Tríade do Ser. Se estiver interessado no significado mais profundo da Tríade do Ser, pode descarregar este texto aqui.

fevereiro: um mês quente

Tivemos um mês muito quente, com temperaturas que normalmente ocorrem em maio, pelo que foi uma altura agradável para estar ao ar livre e trabalhar no jardim. Durante este último mês recebemos a visita da Cláudia e do Igor, que ajudaram muito ativamente na cozinha e no jardim. A Cláudia fez marmelada e conservou algumas das nossas azeitonas e o Igor moveu muitas pedras e ajudou o Edwin com os muros. Também tivemos algumas visitas durante o dia, como o Alexander e a Sana, o René e a Yvette e alguns novos amigos vizinhos, o Jack e a Helma. Estes foram muito generosos em oferecer-nos o seu estrume de cavalo para melhorar o nosso solo, e agora temos um grande monte de estrume de cavalo velho que podemos misturar com palha e usar como cobertura vegetal no nosso jardim. A Andrée está a recuperar bem, um braço já está livre do gesso, pelo que já consegue fazer as coisas sozinha. Entretanto, aproveitou o tempo de recuperação para melhorar o seu espanhol.

O jardim do Asharum Nijar: Regresso às raízes

Foram introduzidas algumas novidades no jardim, entre as quais algumas árvores locais como a romã, as amendoeiras, a aroeira e alguns arbustos como a murta, o espinheiro e uma espécie de giesta (cytisus maderensis). Também iniciámos um campo de morangos para nos dar um saboroso lanche de verão. Com estas novas adições, o jardim está a ficar cada vez mais preenchido. A primeira tentativa deste ano de semear adubos verdes (como trevos, borragem e tremoço) ainda não deu origem a novas plantas. O tempo tem estado muito seco (quase não choveu) e o solo fica muito duro, pelo que as sementes têm dificuldade em germinar nestas condições. Em alguns pontos, onde enriquecemos o solo com terra extra para vasos, estão a nascer. Nas próximas semanas vamos tentar semear mais tipos diferentes e, com alguns cuidados extra e talvez alguma chuva, esperamos ter mais sucesso.

Foi criada uma estufa, ou um viveiro de inverno, para podermos cultivar mudas enquanto o tempo exterior ainda é um pouco agreste. O Martin fez a maior parte do trabalho de construção e, quando ficou pronta, apercebemo-nos logo que precisava de alguma ventilação, pois aquece muito depressa com o sol do Mediterrâneo. No fim de semana passado, o Martin veio e fez duas belas janelas de correr na parte de trás da estufa. Esta semana vamos descobrir como controlar a temperatura no interior e podemos começar a germinar algumas culturas de verão como a melancia, o tomate, a abóbora e o milho.

Construir e melhorar

Junto à cozinha, está a ser construído um novo terraço. Foi erguido um novo muro na extremidade do terraço existente e, por detrás dele, este novo terraço ficará ao sol, estando protegido da direção principal do vento. É também um local onde nos podemos sentar sem sermos vistos da via pública, pelo que oferece um pouco mais de privacidade e é um local perfeito para secar a nossa roupa. Até agora, os estendais da lavandaria têm-se deslocado pelo local e, com as súbitas rajadas de vento, aconteceu mais do que uma vez caírem, por vezes sujando a roupa acabada de lavar antes de a podermos usar. Pode parecer trivial, mas o facto de podermos esconder a roupa da vista da rua melhora o aspeto geral do nosso Asharum.

Partilhar :

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Manter-se atualizado

Gosta do nosso projeto?

Subscreva a nossa newsletter e receba a revista mensal no seu e-mail

Nunca fazemos spam, também não gostamos.

Mais

Jornal de abril de 2024

Jardim de Nâm Living Esta edição é inspirada no trabalho de paisagismo e nas contribuições de Chris de Waard. Chris ajudou-nos desde o início a reavivar e a dar forma a um pedaço de terra seco e quase perdido que, no entanto, com a dedicação de alguns pioneiros e o apoio visionário de Yoginâm, tinha o potencial de se tornar

Ler mais "

Jornal março de 2024

Viver no Jardim de Nâm Começando com ventos fortes e um pouco de chuva, fevereiro deu os primeiros sinais de uma primavera que se aproxima. À noite e nas primeiras manhãs frescas, o ar ainda é fresco e é necessário um casaco. Durante as meditações e nos quartos de hóspedes, os fogões criam uma atmosfera confortável. Estamos gratos pelo

Ler mais "

Jornal de fevereiro de 2024

Jardim de Nâm Living Embora, em termos astronómicos, o ano novo já tenha começado no dia 21 de dezembro, culturalmente, o ano novo começa com o mês de janeiro. E foi assim suavemente para nós, com apenas um pequeno fogo de artifício ao longe, numa manhã de segunda-feira muito agradável. Passou quase despercebido aqui no Jardim de Nâm

Ler mais "

Jornal janeiro de 2024

Prólogo Na manhã em que estava a escrever e a editar este diário, chegou um novo trabalhador da construção civil. Tinha ouvido falar deste lugar e estava curioso para ver como era a nossa "iglesia", como dizia o seu colega ortodoxo romeno. O homem vinha de Marrocos e ficou impressionado com a simplicidade elegante da nossa sala de meditação. "¿De que religião és? perguntou.

Ler mais "

Manter-se atualizado

Subscreva a nossa newsletter, mantenha-se atualizado sobre os próximos eventos e receba o jornal mensal no seu e-mail.

Nunca fazemos spam, também não gostamos.